Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Parque’

 

Neste ultimo dia de Beto Carrero decidimos uma estratégia simples, na parte da manhã iríamos a todos os shows da Dream Works, ou seja os personagens do Madagascar, do Shrek e do kung Fu Panda, para isso acordamos bem cedo e as 9 hrs em ponto já estávamos na porta do parque.

Aproveitamos na entrada um guichê com mapas e programações do dia, enquanto esperávamos já traçamos as rotas no mapa de acordo com os horários dos shows, já que cada show aconteceria em um ponto oposto do parque. Aproveitamos e tiramos algumas fotos, entre elas os cavaleiros de Excalibur.

Claro que meu pai não iria perder a oportunidade de uma foto diferente, com a espada do rei Arthur e ao lado da rainha.

Após as sessões de fotos, partimos para dentro do parque, pegamos novamente o carrinho para minha filha e nos dirigimos para a primeira apresentação que seria na Vila Germânica, lá deveríamos encontrar o  Shrek. Estávamos adiantados e por insistência do meu filho por mais emoção no passeio, topamos ir no Dum- Dum, uma montanha russa level 3.

Emocionante, inclusive minha filha foi comigo, neste momento já estava preparado para novas emoções. Após 3 voltas resolvemos voltar,  pois minha filha já estava impaciente, mas antes resolvemos liquidar mais uma atração infantil, algo de mundo mágico ou seja qual for o nome, a atração consiste em um barquinho, navegando no interior de uma montanha, lotada de personagens parecidos com Legos e Playmobil, todos cantando e dançando, vestidos de soldadinhos, índios entre outros temas, no fundo aquelas músicas típicas da Disney, resumindo, para crianças abaixo de 6 anos.

Agora já estava na hora do show da Dream Works.

Chegando na Vila Germânica vimos que na verdade o próximo show aconteceria na entrada do museu do Beto Carrero, disparamos para lá e chegamos junto dos personagens do Madagascar. estavam eles, a Hipopótamo, os Pinguins , aquele bicho estranho com olhos enormes e outro que também não sei o nome.

Depois enquanto almoçávamos, encontramos o resto da turma, o Leão Alex e os pinguins.

Pronto minha filha estava em outra sintonia já, neste momento ela definitivamente entrou na fantasia do parque, até então era um parque de diversões, brinquedos diferentes, novidades, mas agora ela estava vendo os personagens da TV, para ela eram eles ali.

Após algumas fotos aproveitamos para ver os estábulos , na busca pelo Faísca, o cavalo branco do Beto Carrero, demos azar ele tinha vindo para o Rio de Janeiro para participar do Criança Esperança.

Acabamos encontrando alguns personagens do show que iria começar, além de pegar o Rei despido dos seus trajes reais.

Após um rápido giro no estábulo corremos para a praça para finalmente ver o Shrek. Agora aqui cabe um adendo, na verdade não são shows, são somente fotos com os personagens, ele chega posa para as fotos e quem viu, viu, quem chegou atrasado, só na próxima sessão de fotos.

O local destas fotos seria ao lado de um coreto, isso mesmo, uma réplica de coreto. Enquanto esperávamos, descobrimos uma réplica de Taberna Germânica, e consequentemente uma caneca de cerveja, saúde.

De repente, minha filha começa a gritar e apontar para um gigante verde e um gato de chapéu vindo em nossa direção, minha esposa parecia uma criança, não sei quem estava pulando mais alto naquele momento, mas eram eles o Shrek e o Gato de Botas, perfeito, realmente você entra no clima, muito bom, eu tenho que confessar que também adorei estar ali, acho que todo mundo é contagiado com o clima de magia, acho que todos viram crianças mesmo.

E logo em seguida já encontramos o Kung Fu Panda, como são iguais ao filme.

Pronto, missão cumprida! Todos os bichos registrados, minha filha feliz, agora poderíamos comer alguma coisa antes de continuar, já era quase 13 hrs e meus filhos pediram para comer alguma coisa.

DICA: Existe um restaurante em frente ao museu do Beto Carrero chamado Atalyba, uma ótima opção, custo benefício excelente, trata-se de um buffet, sai mais em conta que comer junkie food na praça de alimentação.

Fomos atendidos pelo dono do restaurante, atendimento carinho e especial.

Após parada para comer ( Só as crianças comeram, decidimos não arriscar, já que eles queriam ir nas montanha russas), partimos para brinquedos radicais e emocionantes. Meu filho estava doido para ir conhecer a Ilha dos Piratas, achei uma ótima ideia, devia ser emocionante, eu sou fã dos filmes de Piratas e se na ilha tivesse atrações tão bem feitas com as que vimos até agora seria perfeito.

Esta segunda parte escreverei no próximo post, espero que gostem e seja de grande ajuda.

E la vamos nós, para chegar a ilha existe uma ponte de madeira muito legal.

 

Read Full Post »

 

Pois bem, após um grande show dos cavaleiros em Excalibur, almoço devorado ( Cardápio – Arroz, feijão, fritas, 2 pedaços de frango e algo parecido com estrogonofe de carne), partimos para a próxima atração. Vale lembrar que ganhamos uma cortesia para a festa da minha filha que acontecerá em Setembro , uns souvenires para as crianças , não posso contar se não a Dani me mata.

O rei e a rainha ainda nos agraciaram com uma linda foto.

Feitas as referências, decidimos que até o final do dia iriamos priorizar os shows, já que os brinquedos estavam cheios, lembra dos colégios que falei no outro post? Pois é.

Os shows tem hora certa para começar e o ideal é que ao entrar no parque você já os tenha em mãos, pois eles se tornarão seu ponto de referência. Neste momento iria começar o show dos carros, era uma nova atração chamada ” Velozes e Furiosos”.

Era uma arquibancada gigantesca e um super cenário com um telão ( na foto acima pode ver este telão em cima de um prédio azul). Ao começar o show o apresentador conta sobre o show que vira e pede que prestemos atenção a história no telão.

Começa um filme , aparecem 5 carros vermelhos em uma oficina e os motoristas trabalhando nos motores, num certo momento entra a mãe de um deles e solicita que comprem no mercado um bacalhau, eles saem a todo vapor pela cidade em direção ao mercado, mas tudo isso estava sendo mostrado no telão até o momento, de repente começa um barulho de motor e os carros surgem na pista a nossa frente fazendo as mais radicais manobras que já vi ao vivo, muito bom.

Após o desenrolar da história, o animador do show pergunta para a platéia se alguém gostaria de dar uma volta nos carros, neste instante minha esposa que até então estava ” pacata ” ao meu lado, levanta abruptamente e começa a chamar o animador, gesticular e rodar o casaco, e sabe o que acontece? Exatamente, imagina uma loira linda no meio de um monte de careca barrigudo, ele chamou a garota loira de azul para dar uma voltinha de carros envenenados, alguma coisa parecida com passeio no parque.,

Ela simplesmente foi em direção aos carros, sem pestanejar nem olhar para traz, eu não entendi nada, foi um misto de emoções, felicidade, susto e medo, pois os caras dos carros são meio doidos e ela enjoa fácil, não ia dar certo.

Após colocar o capacete e entrar no Gol vermelho, o carro saiu cantando pneu e logo em seguida emendou numa seção de “drift”, para depois sumir no fim na pista. Passaram 5 minutos e lá veio o carro a 300 km /h e em frente a platéia deu 2 cavalinhos de pau e parou.

Quando ela saiu do carro e o locutor perguntou como tinha sido,ela até tentou dizer umas palavras, mas nada em nossa língua, ela estava tão nervosa que não conseguia falar, só ouvi um grunhido parecido com meu nome. Quando chegou do meu lado , estava pálida, eu ainda perguntei a ela: “Por que você foi?” Me respondeu que havia pensado em mim e que iria guardar lugar, mas ao chegar lá embaixo nos carros, o rapaz avisou que ali não era fila de ônibus, que tinha que ser ela mesmo, eu quase surtei de tanto rir.

Depois do show corremos para o trem, é uma locomotiva antiga que fica entre o Zoológico e o Show que estávamos, ela dá um passeio bem bacana em uma parte do parque onde reproduziram a fazenda do Beto Carreiro, o mundo perdido, a floresta selvagem , entre outras atrações, as crianças adoraram.

20120827-095341.jpg

O trem retorna para o mesmo ponto , sugiro que você aproveite e já dê uma volta no Zôo, um dos mais bonitos do Brasil. vi espaços amplos, tudo muito limpo e organizado .

20120827-130831.jpg

20120827-130840.jpg

20120827-130848.jpg

20120827-130856.jpg

20120827-130903.jpg

20120827-130912.jpg

20120827-130921.jpg

20120827-130930.jpg

Lindo não é mesmo? Minha filha já foi em Zoológico no Rio de Janeiro e São Paulo , mas este é magnifico, ela
amou ver de tão perto animais que ela só vê em desenho , ela particularmente adorou o leão, tigre, hipopótamo e a girafa. Neste passeio tentamos ir no mamãe e filhote, que é um programa que permite que as crianças alentes os filhotes de animais , mas é com hora marcada, fique de olho ou se informe na entrada do parque.

Depois disso, estávamos em débito com meu filho Lucas, ele queria um brinquedo de emoção, ele me dizia que o Elefantinho que sobe e desce  não contava, embora eu discordasse até aquele momento.

Portanto decidimos em um brinquedo radical e molhado! O Império das Águas. 

Dica: Leve em todos os dias do parque um jogo extra de roupas e meias, além de um chinelo ou tênis, pois quando molha, molha mesmo. Ou na entrada do parque, ao lado direito, existe uma loja que vende barato uma capa de chuva bacana ( R$ 10,00), que você aproveitará em outras ocasiões.

Agora nesta parte do Post, vou mostrar minha bravura e determinação de levar toda a verdade para vocês,  passarei por cima de qualquer consequência que possa ocorrer, mesmo a separação, pois fui ameaçado para não relatar o barraco na fila do brinquedo.

Tudo começou devido a quantidade de alunos de um mesmo colégio, que resolveu tornar o parque praticamente seu quintal de casa, sem respeitar as filas ou o direito alheio. Estas crianças , conforma descrevi anteriormente, pareciam Gremlins, se multiplicavam inexplicavelmente nas filas, mas enquanto era na parte de trás da fila, não tiveram consequências, mas quando começou este milagre da multiplicação na nossa frente, a “chinela cantou”.

O brinquedo possui a capacidade para 5 pessoas, quando tinha um número inferior de passageiros no brinquedo, o dever do rapaz do parque era chamar o próximo na fila, e no caso negativo, continuar perguntando até lotar o brinquedo, mas não era  o que acontecia. Como eram muitas crianças e professores do mesmo lugar, quando faltavam pessoas para completar a capacidade da boia deles, eles buscavam alguém do colégio na fila, ou seja, sempre tinha 2 ou 3 pessoas sempre passando na sua frente e a fila não andava.

Só percebemos isso depois de 1 hra na fila, pois começamos a reparam que as crianças espertas atras da gente na fila num passe de mágica sumiam e reapareciam lá na frente, não preciso dizer que primeiro minha esposa foi falar com os professores para avisar que tinha acabado a festa, como não surtiu efeito ela se dirigiu até a catraca do brinquedo, onde era feito a triagem do bote, e avisou ” acabou a festa, a partir de agora ninguém mais fura fila, só por cima de mim!”, e você acredita que a partir daí a fila começou a andar? Direitos estão ai para serem respeitados, e depois de irmos no brinquedo, no final do dia ainda  fizemos uma queixa por escrito ao parque, pois perdemos horas na fila simplesmente por falta de preparo dos funcionários e ainda nos expomos, confrontando aqueles Gremlins.

Passado o estresse, fomos correndo ao Show na lona principal, O Sonho do Cowboy,  que teria uma musical de faroeste, cujo protagonista era o Beto Carrero, na verdade tudo é uma homenagem a ele, inclusive no final você passa pelo museu, onde estão seus pertences e fotos com as mais diversas celebridades nacionais e internacionais.

Antes do show comprei batata frita e Hot Dogs na lona ao lado, já que pode comer la dentro e o show acontece na hora do jantar das crianças. Vale a pena o musical, inclusive o Madock, o vilão da história, é um ator que trabalhava na Disney e veio trazendo suas experiencia aos palcos nacionais.

Fundador e criador do Parque: O Sr. Beto Carrero

Os dançarinos e no fundo o maravilhoso cenário.

Depois do show, pé na estrada rumo ao hotel. Na noite anterior comemos pizza, e agora? Estávamos tão cansados, que acabamos pedindo uns frangos pelo telefone, eles entregam no hotel, e diga-se de passagem são maravilhosos, eles parecem KFC, aquela rede americana de frangos fritos. Informe-se na portaria, acabei não pegando o nome.

E assim acaba o primeiro dia no Parque.

Próximo Post —-) Segundo dia.

 

Read Full Post »

 

Antes de começar , a pedidos(Taty) gostaria de avisar que as malas extraviadas foram entregues no mesmo dia as 11 hrs da noite, tenho que parabenizar a GOL pela rapidez, embora não tenha feito nada mais que sua obrigação.

Beto Carreiro – Primeiro Dia

Ainda não tínhamos idéia do que encontraríamos no parque, eu já havia ido ha uns 5 anos atras, mas muita coisa havia mudado. Na minha época bastava  um dia para conhecer todo o parque, diferente do que acontece hoje, portanto tudo era novidade, não sabíamos se estaria cheio, se era necessário chegar cedo, se teria fila, enfim, descobriríamos logo a o que mudou.

O café da manhã no hotel é servido até as 9:00 hrs , horário em que o parque abre, neste horário estávamos tomando café e logo em seguida colocamos nosso time em campo e partimos. O dia estava meio nublado e fiquei um pouco receoso, pois estar em uma paruqe com chuva e crianças não daria boa coisa, fica ai mais uma dica, não se desespere, nesta época é comum abrir o tempo somente na hora do almoço.

A caminhada do hotel até o parque não chega a 10 minutos, iniciamos na rua do hotel e logo vimos a entrada lateral do parque que leva direto ao estacionamento.

Atravessando o estacionamento, quase 10:30, logo avistamos o castelo, imponente e colorido , que nos leva a um mundo diferente, nos leva a infância, faz com que nos tornemos meros ” amiguinhos’ de nossos filhos, não mais os pais, você vira uma criança, o brilho no olhar das crianças pode ser somente um reflexo do seu olhar. Os sentimentos se misturam pois não é somente uma felicidade, mas também uma realização,  como pai de família podendo proporcionar aquele momento a todos, afinal todos sabemos como nosso dia a dia é cansativo e desgastante, esta é a recompensa.

O mundo da imaginação inicia na entrada do parque com cavaleiros nos recebendo sob o olhar ainda desconfiado da minha caçula.

Pois bem, após este encanto todo voltemos a realidade .pois ao passar pelos portões do castelo, avistamos uma fila enorme para a compra do ingresso e depois uma maior ainda para entrar no parque. Para nosso azar, apesar de ser baixa temporada e existir uma previsão de tranquilidade e a não existência de filas, neste dia exclusivamente todos os colégios Adventistas de Santa Catarina estavam ali, eram 1500 crianças, pareciam Gremlins, cada lugar que olhava estavam aqueles monstrinhos se multiplicando.

De qualquer maneira aquilo não iria nos preocupar pois de acordo com o funcionário, na alta temporada o parque recebe de 12 a 15 mil pessoas por dia, mas naquele dia só tinham 5 mil pessoas, tranquilo então, este era o meu pensamento naquele momento.

Fui até a bilheteria e comprei as entradas, adulto R$ 66,00 por dia, crianças de 4 a 9 anos R$ 60,00 e menores não pagam. Aproveitei também e ja comprei o ingresso do show Excalibur.

Dica: No guichê você pode sacar até R$ 300,00 no seu cartão de débito, pois la só existe Caixa Econômica, Banco do Brasil e Bradesco.

Dica 2: Se você quer parcelar em mais vez a entrada do parque, compre no hotel ou na Internet, pois ou é o mesmo preço ou as vezes tem até algumas promoções.

Dica 3: É solicitado identidade e certidão na entrada do parque.

Após a entrada fica o aluguel de carrinhos, e posso adiantar que vale a pena, custa R$ 25,00 reais por dia, mas se transforma em mula de carga quando seu filho não esta nele, além de todos os brinquedos terem um local para guardá-lo enquanto você brinca nas atrações.

A primeira atração que vimos foi o Carrocel, minha filha nunca tinha visto isso deste tamanho e ja correu para o cavalinho rosa.

Logo ao lado do carrocel partimos para um brinquedo mais radical, pelo menos para mim que enjoo fácil, a Chicara maluca! Para quem esta lendo pode parecer um brinquedo inofensivo mas basta um olhar mais atento, que vera o masoquismo na cara das pessoas ao entrar naquele torturador em forma de chicara. Já na fila fiquei com náuseas só de olhar aquelas pessoas rodopiando a 300 km/h. Resolvi ir com a minha filha somente, mas me arrependi pois a criança inocente se transformou em um ” monstrinho” ao entrar no brinquedo, e não queria para de girar e rodar, mesmo vendo a pele verde do pai.

Após tanta emoção resolvemos que o próximo brinquedo seria um mais tranquilo, foi quando vi logo a frente os carrinhos de bate-bate, eu larguei todo mundo e já fui para a fila, logo em seguida chegaram os outros 2 homens da família, meu pai e meu filho. Fomos 2 vezes, pareciam 3 crianças, não só uma, eu sai com o joelho doendo, pois bati no volante ao ter colidido de frente com uma criança de 7 anos mal intencionada.

Já refeito do enjoo causado pela chicara, decidimos que agora iríamos para brinquedos mais radicais, escolhi o Dumbo! Claro era um brinquedo onde toda a família poderia se divertir e ainda com doses de adrenalina, ja que o singelo elefantinho podia subir e desce  conforme nossos controles.

Já saindo do brinquedo, avistamos um cortejo vindo em nossa direção, eram os cavaleiros, o Rei e a Rainha, já anunciando que era chegada a hora do torneio de Excalibur, portanto corremos para a Villa Germânica. O horário do Show é as 12 Hrs.

Dica: Compre os refrigerantes na bilheteria antes da hora do show para evitar fila

A villa é uma réplica das cidades medievais, com cenário lindo e a entrada do castelo onde aconteceria o show.

Este espetáculo consistia em uma história sobre um reino, com direito a Arthr, Merlin e a espada Excalibur. Nesta história acontecem diversos duelos entre os cavaleiros, cada um representado por uma cor. Ao entrar na arena você escolhe uma mesa colorida que corresponde a cor do seu cavaleiro que você irá torcer enquanto almoça. É imperdível, quem já foi ao Medieval Times na Disney vai lembrar.

Próximo post parte da tarde no parque –

 

Read Full Post »

 

Quinto dia – Beto Carreiro

Nesta parte do post antes de contar sobre a viagem gostaria de falar um pouco dos preparativos feitos antes da viagem visando ajudar quem tiver interesse em conhecer o parque.

Ao decidirmos ir para o Parque, o primeiro passo foi pesquisar as passagens, tentamos primeiro no Decolar.com e depois outros sites que possuem venda de pacotes mas nossa dica é: Compre diretamente nos sites das companhias e de madrugada , conseguimos 50 % de desconto em relação ao preço cheio. Viajamos até SP de TAM e para nosso destino final de GOL, foram as melhores ofertas.

Em relação ao Hotel, entramos no site da cidade de Penha, onde fica o parque, e pesquisamos cada um, tentamos identificar o melhor custo x beneficio , pois tínhamos também a possibilidade de ficar em Balneário Camboriú. Decidimos ficar em Penha, onde fica o Parque, pois por já conhecer Balneário e o pouco tempo que tínhamos, não interessava o city tour, sem falar que o custo do aeroporto de Navegantes até Penha era muito menor que de Camboriú até Penha. Outro ponto positivo é que poderíamos ir andando do Hotel até o parque pois fica há 800 metros.

Após decidir o hotel começamos a pesquisar o preço, para isso a melhor ferramenta que encontramos foi no site da Decolar.com e compramos o pacote de 3 noites, comprando pelo site saiu mais barato que comprando direto com o Hotel, vai entender. O custo da diária varia de R$ 200,00 a R$300 reais dependendo da localização .

Dica : De Navegantes até Penha pelo litoral são 8 KM , mas se for pela BR são 60 KM, ou seja, a chance de enganarem vocês no translado é grande, fique de olho.

Dica 2: O parque em baixa temporada só abre de Quinta a Domingo, portanto na hora de se programar preste atenção .

Translado – Esta parte demos sorte, pois conhecemos uma pessoa fantástica que faz translado para alguns hotéis da região e nos cobrou R$ 100,00 para pegar no aeroporto de Navegantes , nos levar ao Hotel em Penha e depois fazer o inverso, ou seja nos levar do hotel para o aeroporto.

Dica: Translado Diogo Telefones para contato Operadora + 047 + 9197-7860/ 8405-6071 ou 8806-5922

Dia da viagem para o Parque

Nos recompomos do aborrecimento da noite anterior no Japonês e as 7 da manha estávamos de pé para ir para o aeroporto, lá começaram as histórias.

Chegamos no aeroporto com 2 horas de antecedência , fizemos calmamente o check in, fomos para a área de embarque e pronto, tudo certo, nenhum problema maior no raio x ou no balcão da Gol, agora era só esperar o avião, era o que eu esperava .

Faltavam 20 minutos para o embarque quando reparei no painel de informações de vôo que o nosso destino foi cancelado, e logo em seguida foi anunciado no auto-falante que o aeroporto de Navegantes estava fechado, deveríamos procurar a companhia para outro destino. Pois é, começa aqui a jornada de pânico e terror.

Formou-se uma fila enorme em frente ao balcão da GOL e no “disse me disse ” da fila chegou a nosso conhecimento que seriamos direcionados para Curitiba e de lá pegaríamos um ônibus até Navegantes.

Saquei o IPAD e busquei saber quanto tempo te avião até Curitiba e depois quantos quilômetros de ônibus até Navegantes. Neste momento surtei , seria 1 hora de vôo até Curitiba e depois mais 3 horas de ônibus, ou seja a viagem que seria de 50 minutos se transformaria em 4 horas de viagem. Comecei a pesquisar qual seria o aeroporto mais próximo e descobri que até Florianópolis é 1 hora de avião e mais 1 hora de carro. Tínhamos que agir para não estragar uma viagem que estava começando , e para isso saquei minha melhor arma : Minha incansável esposa. Avisei a ela das alternativas e que tínhamos que dar um jeito de embarcar no avião para Floripa.

Munida dos dados ela correu para outro balcão da GOL . Depois de muito bate boca conseguimos os últimos 6 lugares para Floripa. Agora precisávamos avisar o transfer que ele não nos pegaria mais em Navegantes, mas sim em Florianópolis . Esta brincadeira nos honerou em mais R$ 150,00 reais, já que o combinado era R$ 100,00 com o Diogo, nosso motorista/ Amigo/ Salvador. Depois descobrimos que a GOL era obrigada a nos reembolsar esta despesa. Pronto, agora era só embarcar, será?

Chegando em Floripa, fomos pegar as malas e onde elas estavam? Pois é , duas malas estavam sei lá onde, sumiram. Começava um novo capitulo, e lá vamos nós novamente ao balcão da companhia. Descobrimos que a mala poderia demorar até dez dias para retornar a nossas mãos, imagine meus pais somente com as roupas do corpo para passarem dois dias em um parque. Como não tínhamos mais o que resolver por ali, deixamos o endereço do hotel que estaríamos e nossos contatos , agora era só rezar.

Partimos para Penha, já eram quase 2 hrs da tarde e estávamos todos famintos, seria pelo menos 1 hr de viagem até o hotel e não tínhamos comido nada , mais uma vez nosso motorista nos salvou, ele nos levou a uma churrascaria maravilhosa no Balneário chamda Oficina do Sabor Grill , na qual deixamos os R$ 140, 00 reais mais bem pagos dos últimos tempos, comemos super bem pedindo 2 pratos, sem falar no atendimento que foi maravilhoso.

Chegamos ao hotel por volta de umas 5 hrs da tarde, só pensávamos em tomar um bom banho e comer alguma coisa. tivemos uma ótima surpresa, o hotel possui uma ótima infra-estrutura, aconchegante e funcionários super simpáticos.

Dica: Hotel Vila Olaria (www.vilaolariahotel.com.br) Telefone operadora + 047 + 3345-6824

Após nos instalar, ficamos na área de lazer, as crianças no parquinho brincando, enquanto decidíamos o que comer. Nos indicaram uma pizzaria que entrega no hotel, esta foi a pedida, um custo x beneficio excelente.

Fechamo o dia exaustos mas felizes por no final ter dado tudo certo.

Fim do primeiro dia – Chegada no Hotel – Próximo Post Beto Carreiro Parque

 

Read Full Post »

A Vida como ela é ..... Simples assim!

Espaço destinado a mostrar a vida, simples como ela deve ser......

Blog do Churrasco - O original

Tudo que você queria saber sobre a arte de fazer Churrasco

cozinha pra machos

todo mundo pode cozinhar

%d blogueiros gostam disto: