Lugares e Pessoas

Viagem no tempo

Resumo:

Neste post conto um pouco da história de um lugar muito peculiar – Surui.

A bisavó da minha esposa hoje com 93 anos, sempre pediu para voltar ao lugar onde vivível sua infância. Ela passou momentos marcantes neste local, foi dada pequena ainda para uma família de posses onde passou a viver com os empregados da casa,

Foi uma viagem emocionante, uma viagem para conhecer a história comovente de uma família da cidade de Surui, mais conhecida pela estação ferroviária. Inaugurada em 1926.

IMG_5222.JPG

Dona Zuleika na pensão onde morou.

Dona Zuleika mais jovem.

Dona Zuleika com a filha , a neta e o bisneto há 5 anos atrás.

Um pouco da história da Estação Ferroviária

E. F. Leopoldina (1926-1975)
RFFSA (1975-1994)
Flumitrens/CENTRAL (1994-2010)
SURUÍ
Município de Magé, RJ
Linha Saracuruna-Visconde de Itaboraí – km 47,819 (1960) – RJ-1893
Inauguração: 02.12.1926
Uso atual: estação de trens suburbanos – com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d

HISTÓRICO DA LINHA: A linha ligando Rosário (atual Saracuruna) a Visconde de Itaboraí, projetada desde 1890 pela Leopoldina, sómente foi entregue em 1926 devido a inúmeros entraves burocráticos que foram aparecendo pelo caminho durante esses 36 anos. Na prática, foi essa linha que ligou as cidades do Rio de Janeiro e Niterói, contornando a Baía de Guanabara, passando por Magé e dando acesso também do Rio de Janeiro a Teresópolis e a linha do Litoral da Leopoldina. A linha cruzava a antiga ferrovia E. F. Mauá na estação de Entroncamento, hoje Bongaba. A linha Saracuruna-Porto das Caixas está atsiva até hoje, por ela passando trens da Flumitrens/Central que ligam Saracuruna a Guapimirim, entrando pelo antigo ramal de Teresópolis. No trecho Magé-Visconde de Itaboraí somente existe tráfego cargueiro ligando o Rio a Campos e Vitória.

A ESTAÇÃO: A estação de Suruí foi inaugurada em 1926. Junto a ela foi aberta, nos anos 1950, pela Leopoldina, uma usina de 40 m3/hora para a britagem e classificação de pedra para lastreamento de via. No filme Pistoleiro Bossa Nova, de 1960, toda a seqüência inicial é realizada no ramal de Suruí a Magé inclusive com cenas na estação de Suruí. Hoje em dia (2003) trafegam por ela trens de subúrbio em condições precárias da empresa Central (ex-Flumitrens).

Um comentário em “Viagem no tempo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.