Feeds:
Posts
Comentários

Felicidade

Ontem foi meu aniversário, nestas datas gosto de parar e fazer uma balanço do que está acontecendo na minha vida.

Eu e minha filha fazendo molecagem.

Gosto muito deste assunto, felicidade, ser feliz, fazer feliz.

Afinal o que é felicidade? Como sabemos se somos felizes?

Ao longo de nossa vida estamos sempre questionando isso, mas qual o parâmetro ou a medida/ escala que podemos medir? Posso arriscar dizer a vocês que felicidade é a capacidade do ser humano de primeiro gostar de si, se aceitar, se aprimorar, evoluir, se você não gostar de você e ser grato pelo que conquistou a sua vida sera eternamente uma busca pela ceboura a sua frente, intangível, totalmente contemplativa. 

Para você gostar do que você é precisa entender suas necessidades, criar metas, e achar uma vida equilibrada e harmonica. Precisa não achar que o que os outros vivem ou o que a midia impõe é a verdadeira felicidade. Vejo muita gente assistindo novelas e achando que será feliz quando se encaixar naquele padrao sendo monstrado na TV. Bullshit! Besteira.

Minha dica: Ache uma maneira de estar em harmonia, cuide do seu lado espiritial, ore, reze, faça Yoga, meditação ou o que achar mais a sua cara. Cuide do seu corpo, tente ingerir coisas mais saudáveis e tente fazer exercícios. Pode ter certeza que tudo a sua volta irar ficar mais colorido e mais simples. Diga não ao que não quer e diga sim ao que realmente te interessa. 

Achei um texto bacana falando sobre este assunto.

“Temos que reconhecer a silenciosa felicidade a nossa volta, ser gratos à vida e por tudo que temos…

Viver em vida…

Certa vez, no último ano do ensino médio, minha professora de literatura, propôs um trabalho interessante. Sua proposta baseava-se em escrever um pequeno texto sobre que o que seria morrer lentamente, porém, logo de cara, quase que instantaneamente, o seguinte pensamento me veio à mente, antes de morrer, qual seria a definição de viver?.

Sem dúvida alguma, o conceito dessa palavra varia de pessoa para pessoa, de vida para vida, mas para mim viver é no seu sentido literal, usufruir das coisas da vida, sejam elas para nossa alegria ou aprendizado, até porque o aprendizado se constrói a cada passo seja ele em direção ao certo ou errado.

Na vida existem muitas coisas boas como a família, os amigos, a natureza e os frutos dessas relações.

A vida nos proporciona o conhecimento, a oportunidade de crescimento intelectual e físico, oferece também as artes que muito nos ajudam a montar o grande quebra cabeça que é a vida.

Mas para desfrutarmos dessas dádivas, temos que ter o básico de uma vida equilibrada, é preciso uma boa educação, a certeza que teremos alimento, agasalho, um teto e carinho acompanhamento familiar. O certo é que se não tivermos o básico estaremos sempre mendigando uma medíocre sobrevivência. Esses fatores talvez sejam os causadores de tanta desigualdade.

Os valores de nossa sociedade, infelizmente, seguem o conceito de que nossa felicidade está ligada a nossa capacidade de consumo, portanto se não tenho condições de comprar o mais caro e dito “melhor”, não sou feliz. Sendo assim tenho de sacrificar meu tempo de vida em busca de algo que me possibilite ter uma maior capacidade de consumo para que possa alcançar assim a dita felicidade.

A questão é que nessa busca perdemos um tempo que jamais voltará, e enquanto estivermos condicionados a esta ideia consumista, não estaremos vivendo, mas sim sobrevivendo.

Almejar uma vida melhor e confortável é um desejo nobre e deveria ser o desejo de todas as pessoas.

Porém, temos que saber reconhecer a silenciosa felicidade a nossa volta, se não formos gratos pelo que temos até então, tampouco seremos pelo que ainda vamos obter.

Por esses e outros motivos viver para mim é olhar mundo como ele realmente é, ao mesmo tempo ver além do físico, é explorar novos mundos novas culturas, e isso só o conhecimento e uma boa vivência, uma visão aberta e receptiva em relação à vida nos proporciona.

Portanto, deixar de viver vem a ser o oposto de tudo que acabo de dissertar, seria viver uma vida sem propósito, uma vida irresponsável, sem nortes, talvez apenas sonhos inalcançáveis… resumindo viver por viver.

A frase da grande escritora Martha Medeiros exemplifica meu pensamento a respeito do tema:”Morre lentamente quem não viaja quem não lê quem não ouve música e quem não acha graça de si mesmo”.

Essa frase, sem dúvida alguma, fala por si própria, e em resumo, a vida é um eterno bate volta, por isso saibamos aproveitar sabiamente seus dotes e simultaneamente lidar com suas situações inesperadas, para que assim a resposta, o retorno seja motivo de alegria e gratidão.

Que em cada sorriso, em cada expressão, possamos transmitir mais amor e vida para que assim possamos revolucionar nosso mundo e, consequentemente, o mundo de outras, e por fim, todas as pessoas.”

____________

Anúncios

Agradecimento

As vezes tento agradecer a Deus pelos caminhos que tomei, pois tem horas que nos esquivamos tanto do inevitável e nos vemos num beco sem saída e somos obrigados a olhar para tras e enfrentar o que nos persegue e nos faz correr. Nesta hora você descobre que o “bicho papão” não é tão grande, e você não é tão pequeno. Por estas encruzilhadas que passamos eu agradeço, pois nos mostra que a vida é muito mais do que imaginamos.

Encontrei este texto que fala dos caminhos e a confiança que se acreditarmos em nós e sermos otimistas é possivel viver em harmonia, em equilibrio.

“Deus, eu te agradeço por todas as portas fechadas!

Deus, eu lhe agradeço por todas as portas que fechou para mim, porque me guiaram para algo melhor e me impediram de entrar em lugares indevidos.

Obrigada por todos os imprevistos e pedras no caminho, porque me levaram a caminhos inexplorados, mas que me serviram muito bem. Obrigada por me motivar a buscar sempre o melhor e não me contentar com o que não é de sua vontade para mim.

Obrigada por todas as rejeições e os “nãos” que já ouvi, porque agora eu entendo que eles não me levariam ao caminho daquilo que eu realmente desejo. Sei que estou melhor dessa forma, agora sei o que realmente mereço, e que para ouvir o “sim” que eu espero, preciso aprender as lições que vêm acompanhadas dos “nãos”.

Obrigada por todos os encerramentos, por todas as despedidas… por ter me concedido a coragem e força necessárias para cortar os relacionamentos e hábitos que não me levam a uma vida realizada e feliz. Obrigada por encerrar fases da minha vida em meu lugar, quando eu não tive forças para fazê-lo, mesmo sabendo que iriam me levar a um caminho melhor. Obrigada pelos momentos tristes, pois sei que estão me preparando para a fase feliz, que permanecerá.

Obrigada Deus por me guiar em direções diferentes e me ensinar que há mais de um caminho para seguirmos e mais de um destino para almejarmos.

Obrigada por constantemente demonstrar que nunca estou sozinha, que sempre está ao meu lado, evidenciando minhas qualidades e a minha luz.

Obrigada por todos os pedidos que não foram atendidos. Hoje eu sei que meus desejos não se realizaram porque eu não sabia com certeza o que era melhor para mim, assim como você sempre soube. Por isso, eu confio em suas atitudes, porque está ao meu lado em todos os momentos, conhece meu coração, minhas dores e o que me faz feliz. Sei que você nunca me dará um fardo maior do que posso carregar e que tem grandes coisas planejadas para minha vida.

Obrigada por fechar as portas dos lugares que preciso manter distância, mesmo que eu ainda não saiba, e por abrir novas oportunidades para minha vida a todo momento.

Você sempre se esforça por mim e, por tudo isso, eu lhe agradeço infinitamente, Deus.”

Goste de você primeiro.

Quem nunca ouviu : “Se você não  gostar de você, porque os outros gostarão?”

Estou aqui a esta hora da manhã divagando sobre um texto que vou compartilhar com vocês. 

Levei meus filhos ao colégio e aproveitei para tomar um café com ovos cozidos, sim pois cheguei no meu limite de peso, 3 dígitos , dieta rápida da proteina e nada de refrigerante ou pão a partir de agora.

Mas voltando ao assunto, gostaria de tentar ajudar quem passou ou passa pelo que vivi nestes ultimos anos. 

Eu tenho um problema sério que por comodidade, afim de evitar conflitos ou até  mesmo algum medo, eu repito um ciclo vicioso que não faz bem, eu me apago como pessoa, meus sonhos, meus gostos, meus desejos, eu acabou colocando em segundo plano e passo a viver no automático, sabe como é? Você nem pensa, apenaa age , mas isso tem consequências. 

Quando nem percebeu você ja não é mais você, na verdade,  nem sabe quem é você, irritado, de mal humor, vive cansado, não se arruma mais, briga com todo mundo, vive reclamando e a vida não é mais tão colorida, é como se você estivesse em um  rio sendo levado pela correnteza aguardando a queda de agua final.

Mas a boa noticia é : As vezes boiar e deixar a correnteza nos levar é bom para recuperar nosso folego, mas nesta vida temos que nadar para onde queremos ir. 

Meu conselho? 

Primeiro olhe para você no espelho e veja o que não lhe agrada, são as roupas? O cabelo? Rápido resolva isso, va no salão, no shopping dê um trato, isso irá acender uma fagulha em você, é o primeiro passo que fará com que você veja que o caminho a ser traçado é outro, um caminho mais leve, sem culpas, sem tanta dor de cabeça. 

Segundo passo, qual a rotina que você precisa ter por conta dos seus compromissos com a familia e o seu trabalho? E o que você gostaria de encaixar para se agradar? Academia? Caminhada? Leitura? Almoços diferentes? Progame sua agenda mesclando o seus deveres e os seus direitos, mas ouça bem, dane-se neste momento o que os outros vão falar pois você esta pegando as redeas da sua vida de volta.

E terceiro passo, seja você e não deixe os outros dizerem quem é você ou como deve agir, pois deve agir de uma maneira que deixe você feliz no final do dia, não quer dizer que você não irar fazer besteiras, que não irá tomar decisões erradas, mas quer dizer que você fara isso tudo sendo VOCÊ e fara isso porque você quis e não por imposição de alguém. 

Afinal você precisar gostar de você e de suas atitudes em primeiro lugar, do contrário nunca será feliz. 

De uma.olhada neste texto que achei.

“Não se parta em pedaços apenas para completar os outros!

Muitos de nós levam o altruísmo ao extremo e se partem em pedaços para tornar, aqueles ao nosso redor, inteiros.

Queremos satisfazer suas necessidades e tomamos a responsabilidade por sua felicidade para nós mesmos.

É claro que é uma missão nobre e nos ensina muito sobre o que realmente é o amor, doar sem esperar nada em troca. No entanto, quando vivemos um padrão de apenas nos doarmos, sem nunca receber nada em troca, podemos acabar prejudicados emocionalmente.

Aquelas pessoas que têm o hábito de se doar por inteiro e em excesso geralmente o fazem sem perceber. No entanto, quando as feridas em seu coração atingem um ponto crítico, acabam se conscientizando das consequências de uma vida vivida apenas para outro, sem considerar a si mesmas em seu plano de felicidade.

Abaixo está uma lista de comportamentos que representam, na prática, o que é se despedaçar por outros:

  • Colocar os desejos de nossos amados na frente dos nossos sempre. Fazer isso uma ou duas vezes é natural, até mesmo ideal para o bem de um relacionamento, todos temos que ceder em algum momento. O problema começa quando essa se torna uma ação frequente e a pessoa acostuma e sente que sempre será prioridade.
  • Ceder à manipulações e ameaças de pessoas próximas e todos os dias ajudá-las em tarefas e responsabilidades.
  • Mantermos amizades egoístas e tóxicas, nas quais o único interesse da outra pessoa é falar sobre sua própria vida, nunca dedicando tempo para entender mais sobre nós.
  • Adiar nossos sonhos ou planos de vida em favor dos de outra pessoa.

Pode ser difícil lidar com esse padrão de comportamento, porque é difícil nos convencermos de cuidar apenas de nós mesmos e deixar que cada um se responsabilize pela própria vida. Por esse motivo, o equilíbrio deve ser prioridade e você deve conservar apenas relacionamentos nos quais existe reciprocidade.


As feridas causadas pela falta de reciprocidade

Os nosso relacionamentos interpessoais nada mais são do que interações saudáveis, nas quais ambas as partes têm liberdade para expressarem suas opiniões, desejos e sentimentos. Qualquer relação baseada nas vontades de apenas uma pessoa não são satisfatórias e sempre acabam em dor e sofrimento. Todos precisamos ser reconhecidos como importantes, valiosos e essenciais. O desejo de reciprocidade não é egoísta, é fundamental.


A verdadeira reciprocidade…

  • É poder recusar algum convite por estar cansado, ocupado ou desanimado, sem sentir culpa, porque sabemos que a outra pessoa entenderá e não julgará, porque entende que temos nossas próprias necessidades e direitos.
  • É saber que desistir de si mesmo leva à frustração e infelicidade, e esforçar para manter um equilíbrio entre sua vida pessoal e relacionamentos.

Para estarmos bem e oferecermos nosso melhor, primeiro precisamos estar bem com nós mesmos, e esse bem-estar vem através do reconhecimento, respeito e consideração. Exigir isso não é egoísmo, mas um ato de amor-próprio.”

Day Off e Ansiedades 

Hoje sexta feira, se eu contar o que aconteceu vai parecer mentira. Segue abaixo meu relato e logo depois um texto bacana sobre ansiedade. 

Este fim de semana,  aproveitando que meu filho viajou com os amigos e a namorada pela primeira vez, sim pela primeira vez , ele tem 15 anos, resolvemos dar uma esticada com minha caçula. 

Varios opções e depois de horas de procura o destino escolhido foi na região dos lagos, mais especificamente em Búzios. Acordamos e fomos abastecer o carro , local onde tuso começou. 

Com o carro abastecido , estávamos  no posto de gasolina, com malas no carro, somente bermuda e chinelo, prontos para praia. Ao colocar no GPS nosso destino- 4 hrs de viagem. Heim? Oi? Assim não, olhei para o céu meio nublado , o preço da pousada ainda não paga, o tempo de viagem : Não vai rolar! Próximo destino 

Opção 2: Ir para Teresópolis onde a família da minha esposa tem casa e no sábado cedo engatar para o hotel fazenda, pois de chinelo e bermuda, nublado e em Teresópolis teriamos que ter algo mais agitado. Plano aprovado , votação unanime, tempo de viagem 1.43 minutos – Tranquilo. Mas, seria ideal ligar para a pousada e reservar para não dar problema. E vem o problema, o preço, para ficar de sábado para domingo era praticamente o mesmo preço , não valia o custo benefício.  Nesta hora ainda estavamos no posto de gasolina, dentro do carro ha mais se 20 minutos resolvenso nosso destino. Buzios abortado, Terê idem e agora?

Opção 3: Tivemos a idéia de ir conhecer na praia o hotel 5 estrelas do grupo Blue Tree chamado Breeze. Nossa idéia era se hospedar 1 dia e curtir piscina, praia, jacusi, sala de ginástica , quarto gigante além so visual e a facilidade que um hotel possa proporcionar.  Fomos conhecer o hotel e não tivemos duvida, reservamos para sábado e domingo. 

Sabia decisão, apesar se o sol estar timido foi uma otima escolha.

Visão da piscina.


Aproveitando este dia maravilhoso que estou tendo com minhas duas princesas, gostaria de compartilhar um texto bacana sobre um assunto que atrapalha a vida de muitos, a minha inclusive.

“Como posso viver com menos ansiedade?

Identificação das origens da ansiedade

A grande maioria das pessoas vive emansiedade, porque acredita que é a sua natureza e que nunca poderá viver sem senti-la.

Não é verdade! Já vi pessoas entenderem como todo este processo da ansiedade se processa e deixarem de senti-la. Na verdade, a ansiedade é algo que aprendemos a sentir a partir daquilo que vivemos durante a nossa infância. Uns, menos; outros, mais. A ansiedade é uma “doença” que não mata, mas que destrói. Viver ansioso é, por vezes, pior do que viver com dor. A dor é palpável, ainda que não seja nada agradável senti-la, mas acreditamos que pode ter cura e não perdemos a esperança.

A ansiedade não é palpável e nos faz perder todo e qualquer equilíbrio físico, mental e emocional, precisamente porque achamos que é uma característica inferior da nossa personalidade e que nunca vamos conseguir nos ver livres dela.

Deixem-me explicar de onde vem a ansiedade.

É sabido que, para que alguma coisa possa ser combatida, deve-se sempre saber a sua origem. A grande maioria das pessoas não sabe de onde ela vem, pelo que não a pode combater ou contrariar.

A origem da nossa ansiedade vem de um tempo em que não questionávamos conscientemente o que sentíamos, razão pela qual acreditamos que nos é natural, que faz parte de quem somos e tem o direito de nos condicionar a nossa vida por inteiro.

Uma pessoa ansiosa é alguém que tem uma necessidade imperiosa de controlar o que a rodeia, apenas porque se não controlar, não se sente em segurança. A falta de segurança leva, invariavelmente, à ansiedade.

Mas como se iniciou em nós este processo?

Simples!

Tudo começou quando éramos pequenos e os nossos pais nos “controlavam” por acreditarem saber o que era melhor para nós. “Não vá aí, pois você não conhece o sítio”, “Não faça isso, pois pode se machucar”, “Vista o agasalho, para não ficar gripado”, “Hoje, não saia, pois vai chover!”

O reverso deste “controle” é, precisamente, a sensação de segurança e proteção que está na sua origem. Ainda que pudessem ser exagerados ou estarem errados, na altura víamos os nossos pais como as pessoas que sabiam muito mais do que nós e que queriam sempre o nosso bem. Aquilo que nos diziam, não víamos como controle, mas como um sinal de segurança e cuidado para conosco.

No entanto, quando crescemos e começamos a não ter controle sobre algo ou alguém, começamos a sentir insegurança e, consequentemente, ansiedade.

A ansiedade é a nossa resposta à incapacidade de controlar, prever ou saber algo que pode vir ou não acontecer. Portanto, para nós, sentir ansiedade é uma reação normal quando não controlamos o resultado de algo e nos sentimos inseguros.

O problema é quando a ansiedade toma conta de todas as áreas da nossa vida e começamos a sofrer diariamente com essa limitação que nos faz sentir medo.

O medo é uma consequência normal da imprevisibilidade que experimentamos diante de determinados fatos da vida, sobre os quais colocamos a nossa atenção.

Todos nós precisamos de certezas e a inexistência delas ativa, de imediato, a ansiedade. Sem certezas, não existe segurança na nossa vida. Começamos a compreender que ganhamos alguma segurança através do controle. No fundo, fomos buscar dentro de nós algo que sempre esteve  lá: a necessidade de controlar para sentir segurança.

Aqui, vou ser muito honesto com vocês:

APENAS 1 EM CADA 5 PESSOAS CONSEGUE ENTENDER E ACEITAR A ORIGEM DA ANSIEDADE E DIMINUIR A SUA PRESENÇA NO SEU DIA A DIA.

Ou seja, apenas 20% das pessoas conseguem passar a viver com menos ansiedade. Os restantes 80% acreditam que é a sua natureza ou culpam os outros por sentirem assim.

A ideia não é desanimar com estas estatísticas. Bem, pelo contrário. É motivar a fazer parte dos 20% que conseguem.

Para isso, quero alertar para algumas ideias pré-concebidas e razões inconscientes que nos impedem, frequentemente, de conseguir viver sem ansiedade:

1ª – NÃO POSSO RELAXAR, PORQUE POSSO SER APANHADO DESPREVENIDO E SOFRER AINDA MAIS

Eu sei que é muito estranha esta afirmação, mas a verdade é que a ansiedade funciona como um gatilho para a sensação de que estou atento. Relaxar numa situação preocupante é sinônimo de irresponsabilidade. A preocupação gera ansiedade, mas dá a sensação de estar atento, caso algo ocorra de forma diferente do que eu gostaria. Acreditamos que se não sentirmos ansiedade, seremos apanhados desprevenidos. Acreditamos que se não controlarmos a situação, sofreremos ainda mais.

No entanto, a verdade crua é que todo o tempo que estamos em ansiedade, matamos um número demasiado grande e extra de células cerebrais e afetamos micro-tecidos das veias e artérias, para além de perturbar o normal funcionamento de órgãos, como o baço e o estômago, e de todo o sistema endócrino. É como tomar todos os dias um veneno em doses cada vez maiores e deixá-lo atuar livre e permissivamente no nosso corpo.

Não digo isto para assustar, mas para fazer perceber que a ansiedade não afeta apenas o nosso equilíbrio emocional, mas, sobretudo, o nosso equilíbrio orgânico. Só por esta razão, devemos mudar a nossa atitude diante daquilo que não controlamos. Relaxar é fundamental.


2ª – VIVER EM ANSIEDADE TRAZ SEMPRE UM OU VÁRIOS BENEFÍCIOS

Quem fica na ansiedade demasiado tempo, está sempre a tirar algum benefício. Parece mais uma vez uma afirmação estranha, mas a verdade é que, é assim que acontece. Dou um exemplo muito simples: uma pessoa está num emprego, onde vive constantemente em ansiedade. Está sempre a queixar-se, mas não muda. A razão porque a pessoa fica, ano após ano, é apenas o dinheiro no fim do mês. A ansiedade se justifica e é suportada por causa do benefício final chamado dinheiro.

Os benefícios da ansiedade podem ser muitos, desde uma chamada de atenção (autopiedade, vitimização), um controle sobre algo, uma desculpa ou justificação para não fazer alguma coisa de que não nos achamos capazes, a um medo de relaxar, por podermos ser apanhados desacautelados e sofrermos ainda mais.

Identificarmos qual o benefício que tiramos ao insistir em permitir a ansiedade é um dos grandes objetivos de todo este processo de Coaching. O que ganho com a ansiedade? Por que me permito continuar a senti-la?


3ª – TODA A PESSOA ANSIOSA SENTE CULPA DE ALGUMA COISA

A culpa gera dor e angústia, porque não podemos mudar o que fizemos ou não fizemos no passado. Esta constatação faz com que não queiramos repetir esta situação em nossa vida. Assim, queremos controlarmais do que nunca tudo à nossa volta, para que não possamos vir a arrepender de mais alguma coisa. Quando não controlamos, geramos ansiedade.

Muitas vezes, esta culpa é inconsciente. Outras vezes é consciente, mas acreditamos que já a guardamos no fundo de um baú, há muito tempo. No entanto, a verdade é que ainda não a esquecemos. Por isso, a existência da ansiedade.


4ª – A ANSIEDADE É PRÓPRIA DE QUEM NÃO SE SENTE FELIZ

A ansiedade crônica é um sinal bem claro de que a pessoa em causa não se sente feliz com a sua vida. Pessoas felizes tendem a ser mais calmas, a não querer controlar nada e a acreditar na generosidade da vida. Lembrem-se de uma coisa:

A FELICIDADE NÃO É UMA META.  A FELICIDADE É UMA ATITUDE NA VIDA.

Para tratar a ansiedade, devemos mudar de atitude para conosco. Devemos entender que para sermos felizes, devemos deixar de querer a aprovação dos outros e deixar de querer controlar seja o que for. A nossa missão nesta vida é sermos felizes. Ser feliz é ser grato e entender que nem tudo o que a vida dá é sempre o que se quer, mas é sempre o que se precisa para  respeitar ainda mais.

É na mudança de pequenas coisas na vida que encontraremos o caminho, para que um dia possamos sorrir mais e ficar cada vez menos em ansiedade.

A BASE PARA VIVER SEM ANSIEDADE É A GRATIDÃO E A ACEITAÇÃO.”

Bom dia

Tem dia que acordamos e apesar de não ter dormido tarde a cama nos magnetisa. Sim, bebi dois drinks noite passada, mas não o suficiente para uma ressaca matinal. Meu cachorro olhando pedindo algo, comida, passeio ou observando. Melhor levantar. Muita coisa para fazer mas nada programado = perdido. Sentiram isso ja? Tive um chefe que dizia que devíamos programar o dia seguinte antes de dormir para sermos mais produtivos, ele tem razão.

 Enfim hora de levantar, Queen animando o playlist do Spotify, quem quiser ver meus playlists mgmendes.

Segue abaixo mais um texto bacana para pensar.
“Ocupado demais? Não esteja ocupado demais para perceber que a vida flui, está fluindo…
Rúbia Iana Machado

Será que você não está ocupadodemais? Ocupado demais cumprindo regras, normas ou pedidos que não olha para o lado, não vê pessoas novas, nem reconhece as antigas?

Não demora com ninguém, não olha para ninguém, não troca, não relaxa. Ocupado demais, não é verdadeiro com seu coração, que, por diversas vezes, queria apenas parar e ficar ali o tempo que quisesse.  

Segue com pressa, sem dar atenção aos detalhes do caminho. Segue quase correndo para dar conta de tudo, para vencer metas, para ser o que o outro espera, para ser próspero, para oferecer tudo o que puder, para ser excelente profissional, excelente companhia, para ter, mas, queria apenas estar. Apenas estar no momento, no instante precioso. Apenas estar!

Depois surge o questionamento, o arrependimento, a culpa, a dúvida. E se tivesse deixado tudo para lá, parado e ficado ali, no momento presente? E se não tivesse corrido, fugido ou fingido? Não sabemos e nem vamos saber. Esses questionamentos surgem porque tomamos determinadas atitudes e tivemos determinados resultados. Senão, não teríamos, não questionaríamos, não mudaríamos. Assim, consciente do tempo e das escolhas, posso estar mais, saber menos, correr menos, apenas estar.

Não esteja ocupado demais para amar. Não esteja ocupado demais para olhar. A vida lhe apresenta infinitas possibilidades o tempo todo, você percebe?

Está aberto e receptivo ou sempre arrependido? Um arrependido que não vê e não vive.

Se tiver que correr, corra com calma. Não se perca da sua alma. Nunca será perda de tempo trocar, compartilhar sorrisos. Nunca será perda de tempo receber carinho. Nunca será perda de tempo silenciar, meditar e renovar sua energia. Ter tempo para ouvir os passarinhos, para acompanhar as nuvens do céu. Ter tempo para o que desejar.       

Não esteja ocupado demais para perceber que a vida flui, está fluindo. Não esteja ocupado demais para sentir, para receber, para doar. Não esteja ocupado demais para se conhecer, para conhecer o outro.

Não esteja ocupado demais para ouvir, ocupado demais para conversar. Não esteja ocupado demais para se amar, para ser amor.

Não esteja ocupado demais para ser educado. Ocupado demais para responder. Ocupado demais para ouvir a si mesmo. Não esteja ocupado demais que não esteja!

 

______________

Direitos autorais da imagem de capa:  dotshock / 123RF Imagens”

Para pensar.

Às vezes mudamos tanto para agradar aos outros que, um belo dia, sentimos falta de nós mesmos…

Às vezes mudamos tanto para agradar aos os outros, que em uma noite qualquer, acabamos sentindo falta de nós mesmos… 

E lá vêm aqueles questionamentos mais íntimos e secretos que só somos capazes de falar trancados no nosso quarto ou em frente ao espelho do banheiro.

Aí questionamos tudo, cores, músicas, sonhos, atitudes e mil gritos contidos na garganta vem à tona…  daqueles  só conseguimos colocar para fora  criando um oceano de lágrimas ou com versos e prosas que deixamos escondidos em nossos diários secretos, em enigmas ocultos em nosso subconsciente, que tentamos o tempo todo brigar com as verdades que deixamos passar despercebidas.

Para não criar guerras extras, elas se tornaram guerras internas, as quais você não consegue determinar, onde começou o furacão e muito menos onde vai parar…

Quero  fazer a você um pedido; não se contente em ser brisa se nasceu para ser furacão! Não bata de frente consigo, isso é prejudicial à sua saúde e ao seu amor-próprio. 

Se estiver jogando e não achar que tem as cartas certas para vencer, não se sinta intimidado (a) com isso, vire a mesa de jogo, siga seu caminho você não é obrigado a vencer sempre.

Se não consegue nadar no mar de emoções, crie um maremoto e se permita chegar à beira da praia, sem se importar com o estrago feito. Quem estiver do seu lado tem que ser bom marinheiro, para lhe seguir e não se afogar.

Faça algo que lhe pareça estranho e medonho todos os dias, isso vai tirar você da sua zona de conforto.

Desafie a si mesmo a ser cada dia melhor em tudo que lhe traz euforia e felicidade, grite consigo pelo menos duas vezes ao dia,  pode um: “É isso menina parabéns!” Ou uma bronca tipo: “De novo? Vai repetir esse erro?” 

Peça a si  explicações de alguns dos seus atos, repita em voz alta o que lhe falta, o que lhe dói, o que você  deixou de fazer. Pergunte a si mesma se está cuidando da sua aparência, faça  a si mesma mil críticas e elogios, mas não se permita desistir de algo que o(a)faça sorrir.

Não há nada mais cruel do que se deixar esquecer, perder-se ou se anular ao ponto de um dia acordar, no meio de linda manhã de domingo e precisar voltar para cama e para seus sonhos, pois a realidade do mundo aqui fora, já não lhe parece tão desafiante.

Não esqueça o quanto o mundo precisa da sua diferença, da sua eloquência, sua insanidade, daquela liberdade de escolha, que o(a) faz ser em bilhões de outras  pessoas, uma nova e melhor versão de si mesmo(a) faz o som sua respiração ofegar ou suspirar, a doce sensação de pode salvar o dia daqueles,que só precisam de um sorriso seu para ter a certeza de dever cumprindo, pois você espalhou alegria e felicidade ao mundo.

E fazendo isso, seu mundo de fora se une ao de dentro, formando uma identidade que é lhe  íntima e particular, pois você é única pessoa capaz de se entender, a única a quem pertence e ficará consigo mesmo em todos os momentos do seu viver.

Você pode ser única e permanente para o que é agora e para  o quiser ser no  seu futuro. O tempo que você dá ou recebe de alguém é você quem determina, pois a vida é ação com infinitas modificações constantes… ou você está indo ou você está vindo de algum lugar e aqueles que cruzam nosso caminho, só devem observar a nossa chegada e partida de suas vidas.

O tempo disso é determinado por ações, atenções e sentimentos. Então, para que mudar tanto ao ponto de ser perder, se não ficamos no mesmo lugar para sempre?

Fato

”Não acredito em pessoas que se complementam. Acredito em pessoas que se somam.Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro?”

A Vida como ela é ..... Simples assim!

Espaço destinado a mostrar a vida, simples como ela deve ser......

Blog do Churrasco - O original

Tudo que você queria saber sobre a arte de fazer Churrasco

cozinha pra machos

todo mundo pode cozinhar

%d blogueiros gostam disto: